terça-feira, dezembro 26, 2006

the King is dead


The singer, songwriter, bandleader and dancer who indelibly transformed 20th-century music, died early yesterday in Atlanta. He was 73 and lived in Beech Island, S.C., across the Savannah River from Augusta, Ga.

Mr. Brown died of congestive heart failure after being hospitalized for pneumonia, said his agent, Frank Copsidas.

Mr. Brown sold millions of records in a career that lasted half a century. In the 1960s and 1970s he regularly topped the rhythm-and-blues charts, although he never had a No. 1 pop hit. Yet his music proved far more durable and influential than countless chart-toppers. His funk provides the sophisticated rhythms that are the basis of hip-hop and a wide swath of current pop.

domingo, dezembro 24, 2006

é Natal é Natal!


Christmas or Christmas Day is an annual holiday that marks the birth of Jesus of Nazareth. Christmas combines the celebration of Jesus' birth with various other traditions and customs, many of which were influenced by ancient winter festivals such as Yule and Saturnalia. Christmas traditions include the display of Nativity scenes and Christmas trees, the exchange of gifts and cards, and the arrival of Father Christmas (Santa Claus) on Christmas Eve. Popular Christmas themes include the promotion of goodwill, giving, compassion, and quality family time.

Christmas Day falls on December 25. It is preceded by Christmas Eve on December 24, and in some countries is followed by Boxing Day on December 26. Some Eastern Orthodox Churches (olt rite or old style Orthodox) celebrate Christmas on January 7, which corresponds to December 25 on the Julian calendar. December 25 as a birthdate for Jesus is merely traditional, and is not widely considered to be his actual date of birth.

Christmas is celebrated in most countries around the world, owing to the spread of Christianity and Western culture. Various local and regional Christmas traditions are still practiced.

quarta-feira, dezembro 20, 2006

birra time in the house

Durante o desenvolvimento da crianca as birras são um comportamento perfeitamente natural. A criança tem poucos métodos de negociação com os outros, particularmente com os pais, de testar os limites, de comunicar cansaço, frustração ou outros tipos de emoções. Neste contexto, as birras são um dos métodos mais eficazes ao dispor da criança.

Tal como em qualquer tipo de comportamento, é necessário separar claramente comportamentos ditos “normais” de casos extremos. Casos extremos são aqueles em que o comportamento da criança é tão difícil que impossibilita a harmonia e prejudica a paz familiar, ou em que a criança apresenta um comportamento tão extremo que como resultado vomita ou adoece. Em todos estas situações o que mais ajuda a criança é o compromisso de ambos os pais em tentar resolver o problema, o que deve ser feito com a ajuda de um Psicólogo.

De um modo geral as birras tornam-se uma “dança” dinâmica que se trava entre a criança e o adulto, e pouco ou nada contribui para a resolução do problema sentimentos de culpabilização da criança ou da mãe / pai. Neste fórum vamos debater a necessidade de tentar analisar o que se passa nestas crises de birra e partilhar algumas ideias de como enfrentá-las e resolvê-las.

quarta-feira, dezembro 13, 2006

Oooh my god...

Nem quero acreditar, então é aos 30 que os sonhos de adolescência se tornam realidade?

segunda-feira, dezembro 11, 2006

Inchaaa! Inchaaa!

nim: achas que vai rebentar?
plin: não sei, parece resistente...
nim: tens aí uma agulha, hi hi hi...
plin: não te atrevas! quero ver o filme até ao fim!!!
nim: inchaaa, inchaaaaaaaa!

quarta-feira, dezembro 06, 2006

oh sim, hoje está um belo dia para compras

e como ainda não consigo fazer uploads de imagens, aqui vai um relato visual:
embrulhos extra large em paragens de autocarro, fitas a voar nas estradas entupidas, meninas de óculos escuros e botas de napa até ao joelho a passearem galgos pela rua, senhoras pensativas aguardam taxis, homem corre rua acima na esperança de encontrar a carteira no sitio onde a esqueceu, decorações natalicias a serem retiradas das embalagens e a aceitarem a sua nova vida na vitrine, sacos pretos mais altos que as pernas a fazerem corridas com elas, meninas que querem ir aos trezentos em vez de ir ao chinês, barbudos a colocar pacotes nas lambretas, mãos a segurar cabeças caidas de tédio, policias, muitos policias, e sol, por incrivel que pareça. e a mim não me apetece nada entrar neste ritmo. deixem-me chegar perto da salamandra.

on being manipulated - the possible effects



The goal of manipulation is to control and overpower other people to do what you want them to do for you.


The negative effects of continued use of manipulation to control others are that:

*

People will wake up to your "con job'' on them and be no longer willing to support, assist, or help out when you need them.
*

You will become more likely to believe your own "con'' stories and fantasies and slip into a "pre-psychotic'' state with the inability to tell the difference between the reality and fantasy in your stories and lies.
*

You will get caught up in the need to continue to manipulate and con because it is the only way people will respond to you since they won't be able to relate to you as a "real'' or authentic person because that side of you is rarely shown.
*

People will find it difficult to fully trust you in the future and they will intentionally distance themselves from you for their own self-protection.
*

You run the risk of loss of a healthy "conscience'' and you will not be able to see the wrongness of your lying, conniving and storytelling.
*

People will be hurt by your behaviors because they will have opened themselves up to you by believing your "con job'' and then will be hit in the face by the reality of your scam on them.
*

You run the risk of being the recipient of others' anger, resentment, revenge seeking, hatred, or rage when they 'wake up'' to how they have been manipulated, used and abused.
*

You will use up enormous amounts of emotional energy in continuing your con of others and have little left to care for yourself.
*

You will experience a greater degree of stress and anxiety as time goes on and your con story line becomes more complex and people begin to pick apart the falsehood and dishonesty in your story.
*

You will experience depression and an emptiness as you realize that all of your success up to a point has been built like a "house of cards.''
*

Your low self-esteem will be exacerbated because of the lack of ability to take pride in your hard honest work to become everything you were capable of becoming.

sábado, dezembro 02, 2006

Depois da tempestade...


uma semana dentro de casa. lenços de papel, lençois, sonhos surreais e dores de cabeça.
virose ou alergia, venha o diabo e escolha.
foi ao ponto de ter de ir a correr ao centro de saúde para a famosa pica... pois é.
e eu a pensar que me escapava às heranças incrustadas nos genes. nicles, népias, que és tão boa quanto os outros e, ainda não tomas anti-depressivos, pois não? tás na idade certa, vamos lá a isso... zoing, lá foi a malagueta, seguida das suas gémeas-sombra: a nim e a plin.

nim: olha, a médica receitou antioxidantes!
plin: tás parva, isto é uma gripe!, foi antivitaminicos!
nim: e a pica, e a pica, é pra quando?
plin: AII!
nim: e agora, vamos pra casa?
plin: han? quê? esta é a mesma médica onde a gente vem sempre, ou mudou***

depois disto, nada. blank. dormir, dormir. e muita dor de cabeça a acompanhar.
na manhã seguinte:

nim: olá, bom dia!!
plin: cala-te que ela ainda está a dormir!
nim: que dia lindooo! podiamos fazer um piquenique!
plin: ..... uh, temos é de deixar de tomar estes comprimidos!
nim: mas e depois? volta tudo: olhos lacrimejantes, tosse, dores de cabeça insuportaveis, e nós não temos botão restart, não te lo esqueças!
plin: olha, faz lá essa e cala-te.
nim: oh pá que estupida, sempre a desatinar...

e a malagueta, aflita, deixou-as falar. porque não podia fazer outra coisa, não conseguia. e elas foram ficando. e já cá estão à uma semana... irrrrrra!

bom, avancemos. a L. doente em casa da avó, a V. doente em casa dos pais, o pimento cardinal quase doente e a malagueta quase a perder o picante. o caso era sério.
depois de desistir dos comprimidos que de bom só trouxeram as gémeas-sombra, e depois de muita luta, muito muco, eis que sou eu e, sim, estou de volta.

1) quero aqui deixar os meus agradecimentos públicos a todos os que não se importaram com o meu misero estado, sim, eu podia ter morrido e vocês não dariam por nada, é um facto que aceito, visto que não poderia ser de outra forma.

2) depois, queria dizer que estou nisto pelo dinheiro, porque estando às portas da morte só me ocorria que ainda não tinha publicado o meu livro de memórias, nem a fotobiografia, e já tenho 30 anos. há coisas na minha vida que, definitivamente, vão ter de mudar.
nada acontece por acaso e, estas dificuldades respiratórias puxam de facto por um gajo. gaja. whatever.

3) não posso deixar ainda de agradecer a miss spring por ser a única a acreditar piamente nesta coisa que é este blog. e é para ela que dedico esta frase, inesquecivel apartir* de hoje em toda a blogosfera:

um blog é um blog é um blog.

malagueta dixit à data deste post (mas pensado esta tarde)

tenho dito, até amanhã camaradas.


(*foi assim que aprendi na escola, venham cá dizer que tá mal! não estou a partir nada, portanto é assim que se escreve. APARTIR de agora ninguém brinca com a malagueta.)

tenho de viajar mais...



create your own visited country map