quinta-feira, março 15, 2007

and you smiled...

pulsões no sofá de Freud?

Instintos são pressões que dirigem um organismo para determinados fins particulares. Quando Freud usa o termo, ele não se refere aos complexos padrões de comportamento herdados dos animais inferiores, mas aos seus equivalentes humanos. Tais instintos são "a suprema causa de toda atividade" (1940, livro 7, p. 21 na ed. bras.). Freud reconhecia os aspectos físicos dos instintos como necessidades, enquanto denominava seus aspectos mentais de desejos. Os instintos são as forças propulsoras que incitam as pessoas à ação.

Todo instinto tem quatro componentes: uma fonte, uma finalidade, uma pressão e um objeto. A fonte é quando emerge uma necessidade, podendo ser uma parte ou todo corpo. A finalidade é reduzir essa necessidade até que nenhuma ação seja mais necessária, é dar ao organismo a satisfação que ele deseja no momento. A pressão é a quantidade de energia ou força que é usada para satisfazer o instinto e é determinada pela intensidade ou urgência da necessidade subjacente. O objeto de um instinto é qualquer coisa, ação ou expressão que permite a satisfação da finalidade original.

um post positivo


finalmente os pensamentos começaram a fluir, a necessidade de criar regressou, a intensidade das coisas sentidas sorriu, tudo retorna... as nuvens iniciaram a sua dissipação.
volta a vontade. ao mesmo tempo chega o perdoar, a saudade.
apetece-me abraçar, beijar, tocar aqueles que sentem o que eu vivo.
o saco das memórias está cheio de coisas boas para levar para casa, tenho de confessar.
apesar dos pesares, que são alguns, há imensos motivos para estar apaixonada pelo que consegui reunir:
pessoas lindas e criativas, sitios magnificos e inesqueciveis, trocas de experiencias e vivencias em comum que muito me ajudaram a amadurecer, palavras bonitas ditas, dias e noites marcantes, magnetismos tocantes, muita musica, muita arte, muita informação, muitas viajens.
hoje chegou o verão com a sua luz daylight (cheers J.)

the clock (dedicated to J. and M. with love)


time is running out
for us
but you just move the hands upon the clock

you throw coins in the wishing well
with gold
you just move your hands upon the clock

it comes to you begging you to stop
wake up
and you just move your hands upon the clock
throw coins in wishing wells
for us
you make believe that you are still in charge


Thom Yorke

"eraser" album


terça-feira, março 13, 2007

who's afraid of malagueta?


recordo-me da última inauguração de um grande artista português, cuja doença terminal lhe tolhia os movimentos... recordo-me da interminavel fila de abutres, de catalogo na mão, convite ou semelhante, pedindo dedicatórias, autografos... recordo-me da expressão na sua cara, sabendo, entendendo, resignando-se à sua realidade, e ao curto futuro.
recordo-me de um abutre maior que inclusivamente filmou o seu funeral, numa tentativa estupidamente inacreditável de estabelecer um link "artistico" com o defunto...
recordo-me muito de tudo isto, especialmente nos últimos dias em que me sinto encarnar nessa estranha situação, todos me querem sugar até à última gota, enquanto podem, enquanto estou presente, não vá eu esconder segredos preciosos, levar para casa as joias da coroa, recusar partilhar os conhecimentos que adquiri nos últimos anos.
agem como se fosse natural esta atitude imaginária que acham que vou ter, ou tenho, não consigo compreender. como não sou assim, nem nunca serei, é-me extremamente dificil entender tudo isto. sempre fui honesta, frontal e sem papas na lingua. se calhar foi o meu mal.
assim como senti repudio pelos abutres na inauguração, sinto-o agora pelas pessoas que me rodeiam, pessoas essas com quem lidei durante sete anos da minha vida, sem querer acreditar que eram efectivamente como são, falsos, manipuladores e com segundas intensões.
o que me aguenta e me faz acreditar ainda na utopia de um mundo melhor são, as pessoas com quem trabalho noutras áreas, com quem irei trabalhar no futuro e, saber que o que vou fazer apartir daqui é para mim e para os que acreditam, porque a dedicação que esbanjei nos últimos anos vai ser concentrada e partilhada com todos eles e, como uma flor brotará para os que souberem apreciar.
estou cansada de todos estes jogos, perdoem o meu desabafo...

segunda-feira, março 12, 2007

oh meus deuses...

comentário geral:
- a net está particularmente lenta hoje... que estranho...

passados uns minutos, pergunta a estafeta:
- já recebeste o meu mail?

responde a malagueta:
-não.

estafeta:
-pois, isto ainda não foi... será que 46 megabytes é muito para um email?

comentário geral:
- (..........!!!!..........)

subtexto malaguetista:
-ai queres aprender photoshop? vai tirar o curso que foi o que eu fiz...

For the times they are a-changin'

tudo muda, tudo evolui... e os tempos são de mudança por territórios malaguetistas.
sei que as coisas vão mudar, estão a mudar, para melhor, sei que sim.
tenho tantas coisas a fazer, tantas etapas a percorrer, que nada pode ficar igual.
estava estagnada, parada a vários niveis, bloqueada. agora sinto que os progressos vão concretizar-se, e a vida vai modificar-se, para não mais ser igual ao que era dantes.
sinto a proximidade dos dias que cedo chegarão, e sei que me adaptarei bem.
sinto, pressinto, sonho e realizo. não tenho medo, sei o que vem a caminho.

The line it is drawn
The curse it is cast
The slow one now
Will later be fast
As the present now
Will later be past
The order is
Rapidly fadin'.
And the first one now
Will later be last
For the times they are a-changin'.

Bob Dylan

Limpeza


Limpeza é o acto de retirar impurezas de um corpo ou de um local.
Para isso, existem os produtos de limpeza, tais como Veja, Ajax e Ala; também existem os instrumentos de limpeza, como a vassoura, sabão e a água simples.
(Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.)

Este post é dedicado à Babalu! ;)

quinta-feira, março 08, 2007

untitled

From the "One-Third of a Nation" series, New York City
By Arnold Eagle and David Robbins, 1938

New Deal photographers were instrumental in exposing the human pain of the Great Depression to a wider audience. Their images of rural and urban poverty, which were sometimes manipulated for political and artistic effect, laid bare the economic exploitation of farm workers, uncovered poor living conditions in city tenements, and put a human face on the Depression. Their photographs remain some of the most compelling visual documents of the era.

o inicio da "nova era malaguetista"


isto das passagens de testemunho tem muito que se lhe diga: o que a nós parece óbvio, para quem recebe a nova informação, é mesmo um novo mundo pela frente, para o formador "peanuts", para o formando "oops I did it again"...
mas é de facto uma aventura... enfim.

resumo aliviado dos últimos dias


no dia do eclipse lunar, fartei-me de trabalhar.
depois, tomei um banho de imersão com ervinhas (alecrim, hortelã, e o que mais houver) para fazer sair tudinho... relaxar, e estar comigo.
um belo jantar, com óptima companhia, um belo dum cigarrinho depois, e isso é que foi admirar a lua!
projectámos imagens de um futuro possivel e cada vez mais próximo.
e já se começam a ver as mudanças no horizonte, uma nova vida pela frente.
há que mudar e criar para fazer acontecer.
tenho é de parar de fumar, como já fez a mio...
one step at a time...... maybe hypnosis, who knows? :D

isto era antes...

quarta-feira, março 07, 2007

os meus dias (em meia duzia de palavras soltas)


más noites, olheiras, terrivel mau aspecto, fraldas muitas, cigarro, telemóvel, óculos de sol, máquinas de lavar roupa, máquinas de secar roupa, molas molas e mais molas, sacos do lixo, fraldas de adulto, curativos, feridas que não secam, água oxigenada, compressas compressas, betadine, hirudoide, papel higiénico a rolos, cigarro cigarro, kilómetros telemóvel kilómetros e portagem, óculos, maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C, cigarro, maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V, cigarro, maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V, fraldas, biberão, bolacha torrada, acquisition, cigarro, telefone, telemóvel, casa de banho, tshhh e o almoço??, maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V maçã C maçã V, kilometros kilometros kilometros, biberão, cama, cigarro, cama, fim.

terça-feira, março 06, 2007

o céu, as árvores e os corvos que não apareceram

ver lisboa deitada na parte de trás de uma carrinha comercial é algo de inesquecivel, tanto pela dor de cabeça e pelo atordoar que fica, como pela perspectiva diferente da cidade e seus recantos. apetecia-me ver pessoas nos telhados das casas, mil pessoas, todas de braços abertos em saudação. e os ramos nus das árvores em cada esquina, seriam habitados pelos corvos caracteristicos. bem, vou ter de fazer um video, está visto... ainda estou um pouco zonza de facto...

segunda-feira, março 05, 2007

depois do eclipse

por vezes penso que devia deixar este blog.
tanta gente a fazer coisas boas e eu aqui a brincar...
mas depois fico nervosa porque, nem tempo tenho para fotografar e, tenho de canalizar "isto" para algum lado...
últimamente ando mais virada para a música, coisa que não me acontecia a algum tempo.
descobri coisas novas e redescobri outras...
e os posts têm ficado para trás...
para compensar, uma prenda: uma das minhas mais recentes descobertas por territórios da música... Imaginary Johnny, enjoy!